publicidade
publicidade
Justiça

Justiça de SP concede liberdade condicional a Elize Matsunaga

Após ganhar o direito à liberdade condicional, Elize Matsunaga disse que acredita que tenha sido perdoada pelo marido.

Publicado: | Atualizado em 31/05/2022 08:58


Elize Matsunaga | © Reprodução
Elize Matsunaga | © Reprodução

Nesta segunda-feira (30/5), a Justiça de São Paulo concedeu a Elize Matsunaga o direito à liberdade condicional. Ela disse que acredita ter recebido o perdão do seu marido Marcos Matsunaga.

Elize foi condenada, em 2012, pelo assassinato seguido de esquartejamento do cônjuge. Após cumprir 10 anos da pena, ela cumprirá o restante em liberdade condicional.

Elize Matsunaga foi liberada da penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, interior de São Paulo, cumprindo o alvará de soltura.

Após um vídeo divulgado pelo seu advogado, ela diz acreditar que conseguiu uma segunda chance. “Infelizmente não posso consertar o que se passou, o erro que cometi. Estou tendo uma segunda chance. Infelizmente, o Marcos, não. Mas acredito, na espiritualidade, que ele já tenha me perdoado, e peço isso todas as vezes em minhas orações”, disse.

veja também

Desembargador Otávio Leão Praxedes — © Caio Loureiro
Justiça
Desembargador Otávio Praxedes se afasta do Tribunal de Justiça de Alagoas

Praxedes vai se dedicar, exclusivamente, às suas atividades como presidente do Tribunal Regional Eleitoral durante as eleições.


Juíza Lígia Seabra | © Adeildo Lobo
Justiça
União dos Palmares: Juíza Lígia Seabra toma posse no Juizado Especial

A magistrada era titular da vara única de São Sebastião, unidade de primeira entrância com maior entrada de processos.


Júri condena pai e filho a mais de 17 anos de prisão por homicídio | © Reprodução
Justiça
Júri condena pai e filho a mais de 17 anos de prisão por homicídio

Carlos foi condenado a mais de 17 anos de reclusão. Já Luiz, que é pai dele, foi apenado com 18 anos e nove meses de reclusão.


Deputado Davi Davino Filho - @Divulgação
Justiça
Campanha do PP/AL em 2020 usou quase R$ 100 mil de forma irregular, diz procurador

Segundo a Procuradoria Regional Eleitoral, o partido usou quase R$ 100 mil do Fundo Especial para custear campanha de vereadores de outros partidos.


CCJ | © Billy Boss
Justiça
CCJ aprova PEC que prevê o fim da aposentadoria compulsória para juízes como pena

A PEC 163/2012 tem o objetivo de acabar com a pena de aposentadoria compulsória com salário proporcional ao tempo de serviço.