Instituto Chan Zuckerberg investe US$ 68 milhões em estudos de melhoria na saúde

Além dos US$ 68 milhões de dólares investidos em pesquisas para Human Cell Atlas, Zuckerberg e sua esposa Chan já vinha apoiando o HCA


Publicado em: 27/06/19 às 15:04 por Johny Lucena | Atualizado em 27/06/2019 às 15:04


Instituto Chan Zuckerberg investe em projetos de melhoria de saúde — © Reprodução/Internet

A Chan Zuckerberg Institute, de Mark Zuckerberg e sua esposa Priscilla Chan, contribuiu cerca de 68 milhões de dólares para o Human Cell Atlas, um grupo de cientistas e pesquisadores que colabora com o mapeamento e a caracterização de todas as células existentes em um corpo humano saudável.

A expectativa para os estudos é saber como que as células saudáveis funcionam no corpo humano, para que possa ser entendido como as doenças acontece e de que forma elas agem em diferentes partes do corpo. Com a compreensão, a humanidade passa para outra fase importante do processo; o tratamento e a cura.

Visando dar aos pesquisadores e cientistas envolvidos no projeto, a oportunidade de ter os recursos mais importante para o desenvolvimento de diversos tipo de estudos, fazendo com que os resultados dos trabalhos sejam disponibilizado de forma gratuita em alguns anos. Tudo isso, graças ao software de código aberto da CZI.

+ Acionistas do Facebook tentam tirar poder de Marck Zuckerberg da rede social

O Instituto de Zuckerberg e sua esposa Chan, já vinha apoiando o HCA e teria dito que o dinheiro investido ajudaria os 38 times de ciência que faz parte do HCA há três anos, junto com outros 85 projetos recentes que seguem a mesma linha.

No entanto, os processos de subsídios demanda certa burocracia, visto que tudo tem que ser aprovado, estimado e organizado de antemão, por isso, apenas os 38 projetos mais antigos estão sendo apoiados.

Mesmo assim, o valor de US$ 68 milhões demonstra o tamanho do envolvimento entre a CZI e o HCA, e seus limites que são bastante amplos, em relação aos trabalhos que ambas tem pela frente.

Estamos empolgados por apoiar ainda mais e construir colaborações interdisciplinares que acelerarão o progresso em direção a um primeiro rascunho do Human Cell Atlas“, disse Cori Bargmann, diretor de ciência da CZI.