publicidade
publicidade
Meio Ambiente

Viveiro de mudas une educação ambiental e empreendedorismo em assentamento alagoano

A experiência une educação, preservação ambiental e empreendedorismo para jovens e crianças do assentamento Santa Cruz do Riachão, do município de Matriz de Camaragibe.

Publicado: | Atualizado em 24/09/2021 14:48


Projeto "Viveiro Plantando Sombras" une educação, preservação ambiental e empreendedorismo | © Assessoria
Projeto "Viveiro Plantando Sombras" une educação, preservação ambiental e empreendedorismo | © Assessoria

Um viveiro de mudas está criando uma nova rotina na vida de crianças e jovens do assentamento Santa Cruz do Riachão, no município alagoano de Matriz de Camaragibe, a 79 quilômetros de Maceió. Técnicos e assentados se uniram para montar o Viveiro Plantando Sombras. Experiência que une educação, preservação ambiental e empreendedorismo.

O projeto é realizado desde fevereiro deste ano pela Secretaria de Agricultura do município em parceria com a associação do assentamento. Pais e mães acompanham as mudanças visíveis no dia a dia dos filhos. Os assentados já veem suas nascentes protegidas com o plantio de árvores. As famílias começam a ter retorno financeiro com a venda de mudas.

Edilson Mendes, técnico em agropecuária, coordena a equipe da prefeitura. Ele já trabalhou em convênios de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) do Incra nessa região do Litoral Norte do estado. Com essa experiência, foi convidado para trabalhar na secretaria.

São 26 crianças e jovens participantes do projeto. Eles estudam e dedicam algumas horas da semana para tarefas no viveiro. “Reunimos todos nas quartas-feiras e fazemos um trabalho de educação ambiental, repasse de conhecimentos técnicos e empreendedorismo”, explica o técnico.

Lucas Mendonça da Silva tem 28 anos e seus pais são assentados há sete. No lote, eles plantam batata, macaxeira, inhame, feijão, milho, laranja, maracujá, e também têm criação de galinha, porco e gado bovino. Seu aprendizado traz benefícios para a família.

“A cacimba da nossa parcela recebeu um plantio de árvores feito com as mudas do viveiro e hoje está protegida”, conta o jovem estudante. “Já estamos fazendo o mesmo em nascentes de outros lotes.”

Esse trabalho de conservação e reflorestamento das áreas de nascentes é mais uma atividade do Plantando Sombras com resultados diretos para os assentados. Os técnicos fizeram um diagnóstico para identificar áreas de nascentes para recuperação.

“Após o levantamento, pegamos as mudas do viveiro junto com os jovens, cercamos as nascentes e plantamos ingá e outras árvores para proteção de suas margens”, lembra o coordenador Mendes.

As famílias do assentamento estão entusiasmadas com a iniciativa. Uma das finalidades do viveiro também é oferecer ocupação aos filhos dos assentados.

Edilson Mendes destaca que os pais têm uma avaliação positiva do projeto. “Eles dizem que os meninos gostam de estar lá, e nós orientamos para um clima de harmonia na família, para evitar o ócio e as drogas, assumir bom comportamento na comunidade e manter os estudos.”

O viveiro traz ganhos econômicos para esses jovens e suas famílias. Após oito meses de atividades, eles já vendem mudas para outros assentamentos e para prefeituras da região. “Foram vendidas recentemente 2 mil mudas de maracujá, e o arrecadado foi dividido para melhorias no viveiro e para os participantes e suas famílias.”

As mudas cultivadas no viveiro abrangem as frutíferas, as nativas e as ornamentais. São cultivadas manga, jaca, acerola, abacate, açaí, ingá, jambo, pitomba, jabuticaba e maracujá.

O Sindicato da Agricultura Familiar de Matriz de Camaragibe também contribui com o projeto, por meio de palestras e formação. Outro parceiro destacado pelos técnicos é a associação de assentados.

O presidente da Associação dos Trabalhadores Rurais do Assentamento Santa Cruz, Sandro Calheiros da Rocha, apoia o projeto e avalia que a iniciativa desperta na juventude o interesse em permanecer no campo. “Com todas essas técnicas, que envolvem o cultivo, os enxertos, a preservação, os jovens aprendem a cuidar daquilo que vai ser seu no futuro.”

As 96 famílias do assentamento já foram contempladas com créditos disponibilizados pelo Incra. Os assentados receberam R$ 1 milhão através do Crédito Instalação, nas modalidades Apoio Inicial, Construção e Reforma Habitacional.

No momento, as famílias estão recebendo o Fomento Mulher, uma modalidade do Crédito Instalação específica para mulheres, com o objetivo de apoiar projetos de segurança alimentar. O Incra está liberando R$ 185 mil para 37 mulheres de Santa Cruz do Riachão.

Pela experiência com a região e o tipo de público, Edilson Mendes tem auxiliado os técnicos do Incra no acompanhamento da aplicação do Fomento Mulher. “Ajudo na fiscalização, na orientação e no acesso aos boletos, para garantir os benefícios à comunidade.”

Sandro Calheiros explica que o crédito já está sendo aplicado e gerando renda. “Algumas mulheres investiram em lavoura, outras adquiriram animais para a criação, e isso traz um reforço ao sustento da família.”

*Com Assessoria 
São 26 crianças e jovens participantes do "Viveiro Plantando Sombras" | © Assessoria

São 26 crianças e jovens participantes do “Viveiro Plantando Sombras” | © Assessoria

veja também

Alunos realizaram o plantio de mudas de espécies nativas da flora local | © PMAL
Meio Ambiente
Alunos de escola em Atalaia participam de atividades alusivas ao Dia da Árvore no BPA

Durante a ação, foram ministradas aulas sobre a fauna e a flora e foi promovido o plantio de mudas de árvores nativas.


Jornalista Genisete Lucena e Marcos Diniz, Técnico de Gerência de Fauna do IMA | © BR104
Meio Ambiente
Vídeo: Expedição do BR104 mostra impacto da devastação da Serra do Frios

O objetivo do documentário é apresentar o tamanho da devastação que tem sido feita no espaço ao longo dos anos, assim como as causas, e propor possíveis soluções para o problema.


Jiboia retorna para o semiárido — © Ascom IMA
Meio Ambiente
Dia da Caatinga: IMA de Alagoas celebra data com soltura de animais

As espécies foram levadas ao sertão do Estado após receberem cuidados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas).


Material apreendido durante operação conjunta em áreas de proteção ambiental — © Cortesia
Meio Ambiente
BPA apreende armas e pássaros silvestres durante ação conjunta em Alagoas

Seis pessoas foram presas por porte ou posse ilegal de arma de fogo. Ação ocorreu entre os dias 20 e 30 de dezembro de 2020, na APA de Murici.


Flagrante de civis armados só foi possível com suporte do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) — © Assessoria
Meio Ambiente
IMA resgata animais em operações conjuntas da Mata Atlântica à Caatinga

Cooperação com Ibama, ICMBio e BPA resultou no atendimento de 19 cidades no interior de Alagoas.