Economia

Bolsa Família será pago com o Drex, a nova moeda digital; entenda como será

Cerca de 5% dos beneficiários do Bolsa Família poderão utilizar essa nova tecnologia

Publicado:


Cartão do Bolsa Familia - @Reprodução
Cartão do Bolsa Familia - @Reprodução

A Caixa Econômica Federal anunciou planos para iniciar testes de pagamento do Bolsa Família através do Drex, uma nova forma de moeda digital desenvolvida pelo Banco Central, entre abril e maio deste ano. Este avanço representa um marco significativo na inclusão financeira, prometendo acesso a serviços financeiros de forma offline para populações em regiões remotas do Brasil.

O superintendente nacional da Caixa, Rafael Dias Silva, destacou que o objetivo é facilitar o recebimento do benefício por aqueles que residem longe de agências bancárias e áreas com conexão à internet. “A Caixa atinge 99% da população brasileira, incluindo comunidades ribeirinhas que, muitas vezes, precisam viajar a cidades maiores para sacar dinheiro, afetando a economia local”, afirmou Dias.

Cerca de 5% dos beneficiários do Bolsa Família poderão utilizar essa nova tecnologia, que não só promete reduzir o custo de produtos financeiros, como empréstimos e seguros, mas também facilitar o acesso ao mundo dos investimentos e a bancarização no país. O Drex, que está em fase de testes, não é uma criptomoeda, mas uma representação digital do real, visando transações mais eficientes e econômicas, como a compra e venda de bens sem intermediários.

Rafael Dias Silva explicou que o Drex poderá “tokenizar” garantias, oferecendo mais liquidez e oportunidades de empréstimos para pequenos empresários. A Caixa estuda a possibilidade de depositar o valor do Bolsa Família através do Drex em um cartão que os beneficiários poderiam usar mesmo sem acesso à internet. Este projeto ainda está sujeito a discussões internas com o Ministério da Fazenda e o governo federal, além de requerer uma licitação para sua implementação, dada a natureza pública do banco.

Evandro Avellar, gerente nacional de serviços financeiros da Caixa, mencionou que a iniciativa surgiu durante o LIFT Challenge do Banco Central, após uma empresa demonstrar o uso do Drex. “Isso nos fez pensar sobre a aplicabilidade em nossos serviços, levando-nos a pesquisar mais a fundo”, disse Avellar, destacando a tendência de digitalização mesmo em áreas remotas, apesar dos riscos associados a transações inseguras.


Comentários


    Entre para nossos grupos

    Telegram
    Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
    WhatsApp
    Entre e receba as notícias do dia
    Entrar no Grupo


 
 
 
Especiais

Especial
Livro ensina técnica de leitura usada por Sherlock Holmes para expandir a memória

Aprenda a Melhorar sua Memória, Lendo até 10 Vezes Mais Rápido e Retendo Até 100% do Conteúdo


veja também

PIS Pasep | © Reprodução
Economia
Nascidos em julho e agosto recebem abono do PIS/Pasep hoje

Os valores pagos aos beneficiários variam de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano-base.


Dinheiro do 13º do INSS nas mãos - @Reprodução
Economia
Aposentados que ganham mais de um salário mínimo recebem segunda parcela do 13º do INSS

Hoje, os primeiros a receberem o dinheiro são os trabalhadores com o NIS de final 1 e 6.


Usina Laginha - @Reprodução
Economia
Falência da Usina Laginha será julgada em Alagoas e justiça autoriza pagamentos aos credores

A Usina Laginha, fundada por João Lyra, teve sua falência decretada em 2012.


Calculadora — © Reprodução/Ilustração
Economia
Prazo para aderir ao Desenrola Brasil e negociar dívidas é prorrogado por mais 60 dias

Prazo serve para casos em que a pessoa tenha sido negativada entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022, não ultrapassando o valor de R$ 20 mil por dívida.


Pessoa contando as dividas - @Reprodução
Economia
Prazo para aderir ao programa Desenrola e negociar dívidas termina hoje

A negociação vale para casos em que a pessoa tenha sido negativada entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022, não ultrapassando o valor de R$ 20 mil por dívida