União dos Palmares

Família pede ajuda após empresa não entregar oxigênio para paciente em home care

Paciente está com um quadro de pneumonia, sendo tratado em casa e dependente de oxigênio, no bairro Nova Esperança, em União dos Palmares

Publicado: | Atualizado em 27/01/2024 11:43


A reportagem do BR104 foi chamada por uma moradora do bairro Nova Esperança, em União dos Palmares, para pedir ajuda e denunciar o descaso de uma empresa de home care com o seu irmão, que está com um quadro de pneumonia, sendo tratado em casa e dependente de oxigênio.

Na ocasião da entrevista, Rosenilda contou que o oxigênio de seu irmão Neildo estava zerando, e que já havia comunicado à empresa Dr. Cuidar da situação com antecedência, para que o cilindro fosse abastecido, mas nada foi feito.

“A gente já pediu socorro a todo mundo, e desde que Neildo chegou em casa, que mudou de empresa de um home care para outro, que esse home care é para dar a assistência necessária a ele, isso não está acontecendo. A começar que o paciente está aqui acamado, faz o uso do oxigênio, mas ele está zerado”, disse Rosenilda.

A irmã de Neildo conta que ele não pode ficar sem oxigênio por conta do quadro infeccioso, e que sempre foi tratado em casa, pois essa não é a primeira vez que ele sofre com infecção. O palmarino é acompanhado por uma equipe médica da Dr. Cuidar e da Sesau.

Rosenilda ainda contou que chegaram a pedir oxigênio emprestado a uma vizinha, mas quando foram pedir novamente, essa disse que a empresa a proibiu de liberar, e que falou que se faltasse oxigênio, o paciente deveria ser levado ao hospital.

“Eles [a empresa] ficam forçando uma necessidade de a gente tirar o paciente para o hospital, e não tem necessidade disso, porque desde sempre Neildo está em casa, desde sempre ele foi tratado e assistido em casa. Não é a primeira vez que Neildo pega infecção”, protesta Rosenilda.

“Toda vez que ele pega algum quadro infeccioso, ele é tratado em casa, nunca houve uma necessidade tirá-lo para o hospital, e também não houve a necessidade de a gente estar ligando o tempo todo nessa dificuldade toda atrás de fazer o uso do oxigênio”, complementou.

De acordo com a palmarina, a outra empresa de home care, que era responsável pela assistência de Neildo, deixava quatro cilindros de oxigênio na casa, mesmo sem a necessidade de uso. E a atual não faz isso, quando devia abastecer todos os dias, e agora está proibindo de pedirem emprestado.

“Dr. Cuidar, como é que a gente vai pedir o socorro para levar Neildo para o hospital, se não tem nem o oxigênio? E se esse oxigênio esvaziar, zerar daqui que for chegar o serviço de uma ambulância? […] Como é que fica a situação do paciente? Será que dá tempo? Neildo só tem uma vida, e vocês sabem que tem por responsabilidade dar toda a assistência ao paciente em casa. Quem vai responder se ele vier a óbito?”, questionou Rosenilda.

Assista a reportagem completa no topo da matéria.


Comentários


    Entre para nossos grupos

    Telegram
    Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
    WhatsApp
    Entre e receba as notícias do dia
    Entrar no Grupo


 
 
 
Especiais

Especial
Livro ensina técnica de leitura usada por Sherlock Holmes para expandir a memória

Aprenda a Melhorar sua Memória, Lendo até 10 Vezes Mais Rápido e Retendo Até 100% do Conteúdo


veja também


Encontro do SINDGUARDA com o prefeito de União - @Reprodução
União dos Palmares
Sindguarda-AL e prefeito de União discutem curso de formação para Guardas Municipais

No encontro com o prefeito Kil, os líderes sindicais abordaram a importância do curso de formação, não apenas para a qualificação dos profissionais


Léo Sarmento, organizador da Franga da Madrugada
União dos Palmares
Reunião na Câmara de União discute performance de mulher trans no Carnaval

Na reunião, foi conversado sobre o alinhamento de regulamentações para o próximo desfile.


Caju e Junior Menezes - @BR104
União dos Palmares
Júnior Menezes reage a críticas de Caju e questiona: “Cadê a ambulância?”

Menezes finalizou sua resposta com um apelo por uma política mais respeitosa e trabalhadora.