Alunos de escola em União encontram supostas larvas em merenda escolar

O caso aconteceu na Escola Municipal Joaquim Gomes, localizada no Conjunto Conceição Lyra, Várzea Grande


Publicado em: 07/06/19 às 8:31 por Gustavo Lopes | BR104 | Atualizado em 07/06/2019 às 14:52



O caso aconteceu na Escola Municipal Joaquim Gomes, localizada no Conjunto Conceição Lyra, Várzea Grande — © BR104

União dos Palmares — Alunos de uma escola municipal localizada em União dos Palmares, na Zona da Mata de Alagoas, denunciam ter encontrado larvas na merenda escolar. A denúncia foi feita por uma aluna através das redes sociais, nessa quarta-feira (05).

Conforme o relato, o caso aconteceu na Escola Municipal Joaquim Gomes, localizada no Conjunto Conceição Lyra, no bairro Várzea Grande. Os alunos que denunciaram ter encontrado as larvas são do quinto ano do ensino fundamental, e no dia da denúncia o cardápio servido era canja.

A mãe da aluna relatou que estava trabalhando e recebeu uma ligação informando sobre o caso. “Eu estava trabalhando e quando cheguei em casa, minha filha ligou dizendo que eu fosse na escola. Quando cheguei lá, ela disse que pegou o bicho e colocou em uma colher para mostrar na cozinha.”

Segundo a aluna, de 10 anos, essa não teria sido a primeira vez que o caso acontece e, ao comunicar o ocorrido na cozinha da unidade de ensino, ninguém lhe deu atenção. “Nós fomos na cozinha mostrar, mas ninguém ligou. Isso não acontece pela primeira vez não, já é a segunda vez”, conta.

Outros alunos, por sua vez, relatam que nunca encontraram nada nos alimentos servidos na unidade. “Eu sempre peguei a merenda, todos os dias. Eu como e repito”, afirmou uma aluna. “Sempre como da merenda e nunca vi isso não”, relatou outra.

Cristina, diretora da escola, disse  que ficou sabendo do caso através da publicação na rede social e que a Vigilância Sanitária foi ao local. “Quando fiquei sabendo, mandei chamar ela para saber o que tinha acontecido. Nós fomos averiguar e a vigilância chegou no mesmo momento. Eles fizeram todo o processo de averiguação. Eu abri um saco de arroz para ver se tinha algo e estava tudo certo. Fomos investigar para saber se a denúncia tinha fundamento”, disse.

+ Caminhão carregado com iogurte tomba na BR-104, em São José da Laje

Confira o depoimento da mãe:

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura afirmou que a notícia trata-se de uma Fake News, e que a escola “foi alvo de uma acusação inverídica acerca da higiene no preparo de alimentos. A notícia em questão publicada em página anônima da rede social Facebook, entretanto, utiliza imagens retiradas do Google para embasar a situação que não confere”.

A Secretaria ressaltou que a merenda passa por um importante processo até chegar no município, “sendo estocada em local apropriado até ser levada para as escolas, que contam com visitas periódicas da equipe de nutricionistas da SMEEC, garantindo o manuseio adequado dos alimentos”.

Veja a denúncia da aluna publicada no Facebook:

“Olá para quem não me conhece! Meu nome é Geovanna, estou aqui para dar um comunicado: Eu estudo na escola Municipal Joaquim Gomes de Araújo. Nessa escola, quando chega na hora do recreio e vamos ver a merenda, ela está cheia de tapuru. Hoje aconteceu novamente. Todo mundo deixando os pratos. Fui lá pra sala e quando fui colocando a colher na boca, um tapuru. Ai minhas amigas do mesmo jeito, tapuru também. Nós fomos na cozinha mostrar, mas ninguém ligou. Isso não acontece pela primeira vez não, já é a segunda vez.”