publicidade
publicidade
Tecnologia

Google bane aplicativos da Play Store que continham vírus

Usuários eram surpreendidos com propagandas no sistema operacional de seus smartphones ao instalarem os aplicativos

Publicado:


Google Play Store (Crédito: Reprodução/Internet)
Google Play Store (Crédito: Reprodução/Internet)

Aproximadamente 29 aplicativos foram removidos, neste final de semana, pela Google Play Store. De acordo com a companhia, os apps eram capazes de coletar imagens e exibir anúncios indevidamente. Os aplicativos foram desenvolvidos para fotografia, edição de imagens e aplicações de filtros. Somados, já contabilizavam mais de 4,3 milhões de downloads, números que eram exibidos na própria loja online.

Segundo a empresa Trend Micro, responsável pela identificação das atividades, informou que além dos aplicativos serem capazes de roubar imagens produzidas neles, os usuários tinham dificuldades na desinstalação pelo fato do app ocultar seu ícone nos menus de configuração dos smartphones.

+ Falha de segurança no FaceTime constrange a empresa norte-americana Apple

Ao contrário do comportamento dos adwares (propagandas dentro dos app), os aplicativos tinham anúncios próprios, onde usuários eram surpreendidos com propagandas no próprio sistema operacional.

Na maioria das vezes as publicidades dos apps traziam imagens pornográficas ou até mesmo impróprias, constrangendo os usuários dos aparelhos. Ao clicar nessas imagens de uma forma acidental ou não, os usuários eram direcionados a uma página fraudulenta onde era exigido um cadastro.

Já outros aplicativos salvavam as imagens e armazenavam em um servidor remoto, ainda não se sabe para qual utilidade. Nesses aplicativos os usuários eram informados que as imagens eram salvas em uma infra-estrutura externa, que servia para uma qualidade melhor da reprodução dos filtros nas imagens.

Para evitar uma avaliação mais rigorosa da Google, os apps utilizavam arquivos comprimidos como parte dos downloads feitos pelos usuários. Além disso, uma única versão disponível pela Play Store era livre de ameaças e era analisada com uma menor frequência pela companhia.

Apps que roubavam fotos e exibiam anúncios maliciosos (Cérdito: Reprodução/Imagem - Ars Technica)

Apps que roubavam fotos e exibiam anúncios maliciosos (Cérdito: Reprodução/Imagem – Ars Technica)

veja também

Hidroweb Mobile | © Ícaro Chavarria/BR104
Tecnologia
ANA disponibiliza app gratuito com dados de rios e chuvas nas regiões ribeirinhas

O aplicativo disponibilizado pela ANA trás dados sobre os rios e chuvas nas regiões ribeirinhas. O download é gratuito.


Google | © Reprodução
Tecnologia
Google doa cerca de R$ 1,2 milhão às regiões afetadas pelas chuvas

O Google irá destinar o montante de 250 mil dólares, aproximadamente R$ 1,2 milhão na cotação atual, às regiões afetadas pelas chuvas.


Mensagem Twitter | © Reprodução
Tecnologia
É falso que Twitter tenha modificado cores do ícone curtir

De acordo com as informações, a nova atualização acontece após o empresário Elon Musk comprar a plataforma.


Reação em mensagens do WhatsApp | © Reprodução
Tecnologia
Reações em mensagens faz parte de nova atualização do WhatsApp

Além das reações, o aplicativo passa a permitir o envio de arquivos de até 2GB.


TikTok | © Reprodução
Tecnologia
TikTok pretende dividir receita com usuários da plataforma

A plataforma pretende dividir a receita com usuários com 100 mil inscritos ou mais.