publicidade
publicidade
Saúde

Ayres sobre primeira cirurgia eletiva no Hospital Metropolitano: “Foi um sucesso”

Paciente foi submetida a uma cirurgia de retirada da hérnia epigástrica.

Publicado:


Secretario Alexandre Ayres - @divulgacao
Secretario Alexandre Ayres - @divulgacao

O secretário de estado da Saúde de Alagoas, Alexandre Ayres, comemorou a primeira cirurgia eletiva realizada no Hospital Metropolitano, em Maceió.

A primeira paciente a se submeter a uma cirurgia na unidade foi a senhora Edzeilda da Silva, de 54 anos.

“Realizamos ontem, a primeira cirurgia eletiva no Hospital Metropolitano. Com 54 anos, Edzeilda da Silva foi a primeira paciente que passou por procedimento cirúrgico na unidade”, disse Ayres.

Ainda segundo o secretário, a cirurgia que foi considerada um sucesso, retirou uma hérnia epigástrica de dona Edzeilda.

“A cirurgia de retirada da hérnia epigástrica foi um sucesso e ela já está em casa para a recuperação. Alagoas vive um novo momento e vamos seguir firmes levando saúde pra quem mais precisa!”, concluiu.

Paciente sendo submetida a cirurgia no Hospital Metropolitano

Paciente sendo submetida a cirurgia no Hospital Metropolitano

veja também

Morcego na árvore - Foto: Reprodução
Saúde
Com potencial pandêmico, vírus Nipah tem taxa de mortalidade de 75%

Um garoto de 12 anos morreu em Kozhikode, no Sul da Índia, em decorrência do vírus.


Secretario Alexandre Ayres - @divulgacao
Saúde
Ayres anuncia chegada de novos lotes da Pfizer e Coronavac

"Vacine-se, quando chegar a sua vez!" disse o secretário


Medicamentos - Ilustração
Saúde
Venda de antidepressivos cresce 34% em Alagoas

Psicóloga aponta violência doméstica, desemprego e isolamento como responsáveis pelo aumento do consumo desses medicamentos.


Cartão de vacina @Carla Cleto
Saúde
Tomei a vacina da Covid, mas perdi o cartão. E agora?

A secretária de Saúde de União dos Palmares, Geany Vergeth, explicou o que fazer.


Vacina contra a Covid-19 – © Voisin/Phanie/AFP
Saúde
Folha admite erro em matéria sobre vacinas vencidas

Segundo o editorial publicado pela Folha, a reportagem diz que errou por não reconhecer a possibilidade de uma falha no sistema do SUS.