publicidade
publicidade
Saúde

Alagoas tem redução de quase 30% nos casos de Dengue, aponta Ministério da Saúde

Em Alagoas, no ano de 2018, houve uma redução de 27,5%, quando comparados aos notificados em 2017

Publicado: | Atualizado em 01/02/2019 07:05


publicidade
publicidade
publicidade
Agentes de endemias (Reprodução)
Agentes de endemias (Reprodução)

Saúde – Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), órgão vinculado ao Ministério da Saúde (MS), apontam que, de janeiro a dezembro do ano passado, foram confirmados 2.059 casos de Dengue, contra 2.839 no mesmo período do ano anterior. Em Alagoas, no ano de 2018, houve uma redução de 27,5%, quando comparados aos notificados em 2017.

Além da dengue, houve também a redução nos registros de Chikungunya, uma vez que, segundo o Sinan, foram 462 confirmações em 2017, contra 134 de 2018, resultando em uma queda de 62,3%. Com relação à Zika – doença que está ligada à microcefalia –, houve o registro de 137 notificações no ano passado e 181 em 2017, ocasionando uma redução de 24,3%.

Christian Teixeira, secretário de Estado da Saúde, ressaltou que a queda no número de casos dessas doenças, reflete a articulação entre o Estado e os 102 municípios. Para ele, foi um resultado “paralelo ao trabalho desenvolvido pelas duas esferas de poder, com o apoio do Ministério da Saúde, a população alagoana tem se conscientizado sobre as medidas de prevenção ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das três doenças”.

As medidas de prevenção evidenciadas pelo secretário de Estado da Saúde, dizem respeito à intensificação das ações com os supervisores de campo, que percorrem as 10 microrregiões de saúde, prestando assistência técnica aos 102 municípios. Por meio deste trabalho, realizado semanalmente, eles acompanham as atividades dos agentes de endemias municipais, gerenciam as informações e dão suporte às atividades de campo.

+ Murici está entre as cidades que estão em situação de risco para Dengue, Zika e Chikungunya

Ação de cada cidadão

Mas além do trabalho desenvolvido pelos órgãos governamentais, a redução dos casos notificados de Dengue, Zika e Chikungunya, também ocorreu em consequência do aumento da consciência da população. Tese defendida pelo supervisor de endemias da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Paulo Protásio, que tem verificado maior ação da sociedade no combate aos focos do Aedes aegypti.

“O trabalho dos agentes municipais de endemias é importante, mas, todo cidadão tem papel fundamental na prevenção da proliferação do mosquito transmissor das três doenças. Para isso, além de não manter expostos recipientes com água limpa e parada, é necessário limpar quintais, calhas e caixas d’água, descartando garrafas de plástico ou qualquer recipiente que possa acumular água, por representarem local propício para o mosquito se desenvolver”, orientou.

*com Sesau
publicidade
veja também

Equipes monitoram terrenos baldios na Capital | © Assessoria
Maceió
Fiscalização em terrenos baldios intensificam combate ao Aedes aegypti em Maceió

Município já emitiu 43 notificações e mantém sob monitoramento mais de 2.300 terrenos.



Variola dos Macacos - @Reprodução
Saúde
Varíola dos macacos e Covid-19; especialista explica a relação de transmissão

Para a infectologista Luana Araújo, "a varíola dos macacos está longe de ser como a [transmissibilidade] da Covid".


Aline Barbirato e Marcy Nobre | © Assessoria
Saúde
Odontólogas empreendem na pandemia e se tornam referência em harmonização facial

Elas tiveram que enfrentar desafios, como saber conciliar a rotina do trabalho com as tarefas domésticas e a assistência à família.


Câmara dos Deputados | © Reprodução
Saúde
Câmara aprova PL que estabelece piso salarial para Enfermagem

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4/5) o Projeto de Lei que estabelece o piso salarial nacional da Enfermagem.


publicidade