Falta de intérprete de libras em escola faz pai recorrer à Defensoria Pública

A situação é irregular, já que existe uma lei que garante aos alunos com deficiência auditiva o direito de ter intérpretes na rede pública de educação


Publicado em: 13/05/19 às 15:34 por Gustavo Lopes - BR104 | Atualizado em 13/05/2019 às 15:34


A situação é irregular, já que existe uma lei que garante aos alunos com deficiência auditiva o direito de ter intérpretes na rede pública de educação (Crédito: Reprodução/Doze em Ponto/BR104)

São José da Laje – O pai de um aluno portador de deficiência auditiva teve que recorrer à Defensoria Pública de São José da Laje São para garantir que o filho tenha um tradutor de libras em sala de aula. Por conta da falta do profissional, o estudante está tendo o aprendizado prejudicado.

A situação é irregular, já que existe uma lei que garante aos alunos com deficiência auditiva o direito de ter intérpretes na rede pública de educação. A situação não prejudica apenas os alunos surdos. Sem intérpretes, os professores acabam atrasando às aulas.

Alexandro Paulino, pai do estudante, alegou que no momento da matrícula a escola foi informada sobre a deficiência do filho, e que ele precisaria do acompanhamento de um profissional. “O Estado deveria ceder, já que é uma obrigação dele. Até porque quando fizemos a matrícula foi informado que ele tinha essa deficiência“, disse.

A Defensoria Pública vai entrar com uma ação contra o Estado para seja fornecido profissionais, tendo em vista que, além de São José da Laje, o problema também se estende para o município de Ibateguara, onde outros três alunos estão com a mesma dificuldade.

+ Fez a prova do Encceja? Saiba como solicitar o certificado

“A Defensoria Pública vai entrar com uma ação para brigar o Estado a fornecer interpretes”, afirmou o defensor público.

Segundo gerente regional da 7° Gerência Regional de Ensino de União dos Palmares (7° Gere), Simone Campos, o processo já foi recebido pela 7° Gerencia e que o caso está sendo analisado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Assim que realizado o processo seletivo, os profissionais serão dirigidos às escolas da rede estadual de ensino.

Confira a reportagem na íntegra: