publicidade
publicidade
Política

Ex-governador fala de instabilidade e falsas promessas na gestão Kil de Freitas

Numa mudança de postura, Manoel Gomes de Barros fala de demissões em massa na prefeitura de União

Publicado: | Atualizado em 15/11/2018 10:01


Manoel Gomes de Barros (Imagem Reprodução)
Manoel Gomes de Barros (Imagem Reprodução)

Foi por meio de seu perfil no Facebook, que o ex-governador Manoel Gomes de Barros resolveu se pronunciar sobre as as medidas impopulares tomadas pelo prefeito de União dos Palmares, Areski Freitas (MDB), que exonerou todos os servidores contratados da prefeitura.

As críticas do ex-governador não são inéditas, mas podem significar uma mudança de postura do sempre candidato a prefeito de União dos Palmares, que vinha evitando ser tão contundente em criticar o prefeito Kil, pelo menos, desde que se aliou a família Calheiros, tendo em vista as últimas eleições proporcionais.

As demissões que começaram na Secretaria de Assistência Social na última sexta (9), atingiu todas as secretarias municipais, e até o momento não há informações de que os demitidos receberam todos os seus vencimentos, ou se foram demitidos ainda com algum salário a receber.

Informações da própria prefeitura davam conta de que até o mês de outubro, haviam alguns funcionários que tinham salários atrasados desde o ano passado.

“Mais uma vez a nossa população é surpreendida com notícias negativas, quando no final de ano, próximo ao Natal as centenas de famílias que já sofrem com os salários atrasados, passarão por mais dificuldade. A demissão em massa é mais um reflexo das falsas promessas, que a cada dia apequenam nossa cidade.” Disse o ex-governador Manoel Gomes de Barros.

+ Sem salário, garis de União recebem cesta básica e voltam ao trabalho após paralisação

Desde a última eleição municipal, o ex-governador vem fazendo um movimento político considerável, demonstrando que tem vontade e fôlego para uma nova disputa eleitoral. Mano saiu do PSDB filiando-se em seguida ao MDB, partido do governador Renan Filho, e desde então vem demonstrado maior prestígio e influência política que o atual prefeito de União perante Renan Filho.

Postagens Anteriores

Em postagem anterior, no dia 8 de novembro, Manoel Gomes de Barros já havia criticado duramente a gestão Areski  Freitas, pelos constantes atrasos dos salários dos servidores. Nas palavras do ex-governador, é inaceitável que um trabalhador tenha o salário atrasado por aproximadamente noventa dias, causando instabilidade.

“Tenho acompanhado com muita preocupação e lamento profundamente saber da situação em que muitas famílias de nossa cidade têm passado, o salário atrasado é um problema constante em União, sobretudo na atual gestão. É inaceitável que um trabalhador tenha o salário atrasado por aproximadamente noventa dias, causando instabilidade.” Disse ele.

veja também

Wanderley Neto | © Reprodução
Política
Vice-governador retoma atividades após testar positivo para Covid-19

Na terça-feira (21/6), ele testou positivo para Covid-19.


Jair Bolsonaro e Milton Ribeiro - @Reprodução
Política
Apenas um senador por Alagoas assinou pedido para a CPI do MEC

Os senadores protocolaram o pedido com 31 assinaturas favoráveis à criação da Comissão Parlamentar de Inquérito.


Pedro Vilela | © Assessoria
Política
Pedro destaca entrega de imóveis pelo governo federal em Maceió

O residencial está sendo construído com recursos federais do Ministério do Desenvolvimento Regional.


Drª Fátima Santiago | © Reprodução
Geral
Ginecologista e ex-vereadora Fátima Santiago é pré-candidata a deputada federal

A médica ginecologista atende em vários municípios do interior de Alagoas, inclusive em União dos Palmares e Branquinha.


JHC e Rui Palmeira - @BR014
Política
Cresce tensão entre JHC e Rui Palmeira

O prefeito de Maceió chamou seu antecessor de vigarista.