publicidade
publicidade
Policial

Empresa por trás do concurso da PM/AL já esteve envolvida na “Máfia dos Concursos”

Em 2017, a Cebraspe precisou demitir 33 funcionários acusados de participação em esquema de fraude.

Publicado: | Atualizado em 15/09/2021 17:43


Funcionário da Cebraspe preso - @internet
Funcionário da Cebraspe preso - @internet

O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), empresa que organizou o concurso da Polícia Militar de Alagoas, cujo resultado foi divulgado na última semana sob suspeita de fraude, já teve o seu nome envolvido em um esquema que ficou conhecido como a “Máfia dos Concursos”.

Em novembro de 2017, após uma longa investigação da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), a Cebraspe demitiu 33 funcionários acusados de participação em fraudes. Os funcionários faziam parte da equipe responsável pela organização e digitalização das provas. Pelo menos um funcionário foi preso naquele ano.

A empresa figura em mais de 1 mil processos em todo o país, e até esta quarta-feira (15/09), ela já aparece em 54 processos em Alagoas, que foram protocolados entre 2017 e 2021, com origem nas cidades de Penedo, Palmeira dos Índios, Arapiraca e Maceió.

A nova polêmica em que o nome da Cebraspe está envolvido em Alagoas, está ligada a acusação de uma suposta fraude na prova do Concurso da PM. Um grupo de concurseiros já entrou com uma ação popular junto ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) pedindo uma indenização na ordem de R$ 3 milhões, além da suspensão da prova.

+ Quem são os candidatos de União dos Palmares acusados de fraude no concurso da PM

Por meio de nota, a Cebraspe disse que não há necessidade de suspensão do certame, e que é possível identificar os indivíduos que se utilizaram de fraude para a aprovação na prova.

“O Cebraspe informa que os procedimentos de segurança do Centro não se limitam ao momento de aplicação das provas e abrangem todas as etapas do certame. Assim, é possível a identificação e a eliminação de pessoas que possam ter se utilizado de meios ilegais mesmo após a aplicação das provas. Informa, ainda, que, conforme o edital do certame da Polícia Militar do Estado de Alagoas (PMAL), se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrônico, estatístico, visual, grafológico ou por investigação policial, que o candidato se utilizou de processo ilícito, suas provas serão anuladas e ele será eliminado do concurso público. Por oportuno, esclarece-se que o Centro já se colocou à disposição da polícia e é o maior interessado em esclarecer os fatos”, diz a nota.

veja também

Golpes de faca — © Ilustração
Policial
Para se defender de agressão, mulher esfaqueia o marido em São José da Laje

Depois de receber atendimento médico, o homem foi preso e a mulher liberada.


Francisco, conhecido como Chico da Banana
Policial
Preso em SP comerciante acusado de abusar de adolescentes em União dos Palmares

Chico da Banana estava vivendo no município de Campinas, em São Paulo


Ambulância na porta de hospital - @reprodução
Policial
Menino de 4 anos é encontrado com caneta cravada na garganta; mãe é suspeita

Além da caneta, o menino tinha fios de internet amarrados no pescoço.


Vampiro Sedento de Sangue - @Divulgação
Policial
Homem que matou 12 crianças e bebeu sangue delas foge de delegacia

Conhecido como Vampiro, o homem contou que chupava as veias das crianças antes de matá-las.


Vagner Ramos da Silva, vítima de homicídio - @cortesia
São José da Laje
Homem é morto a facadas em São José da Laje

O crime aconteceu na noite deste sábado no Conjunto Armando Lyra