Criminosos invadem residência e matam criança de apenas oito anos

O menino, identificado como José Marcos Vinícius Silva Falcão, estava brincando na casa, momento em que os criminosos entraram atirando


Publicado em: 07/06/19 às 10:36 por Redação | BR104 | Atualizado em 07/06/2019 às 10:36



O menino, identificado como José Marcos Vinícius Silva Falcão, estava brincando na casa, momento em que os criminosos entraram atirando — © Já é Notícia

Arapiraca — Um crime brutal chocou os moradores do bairro Batingas, no município de Arapiraca, a 120 quilômetros da capital alagoana. Uma criança de apenas oito anos foi alvejada por um disparo de arma de fogo dentro da sua residência.

Segundo informações repassadas à polícia, a família estava no imóvel quando o local foi invadido por quatro suspeitos – até o momento não identificados – que chegaram em um veículo branco e invadiram a casa, abrindo fogo contra todos. As características do veículo não foram informadas.

O menino, identificado como José Marcos Vinícius Silva Falcão, estava com o pai no quintal do imóvel, quando este ouviu os disparos e correu. Nesse momento, a criança acabou sendo atingida por um disparo no peito, não resistindo ao ferimento.

A criança estava brincando na residência quando os criminosos entraram na casa. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas ao chegar no local pôde apenas constatar o óbito. “Mataram meu filho por perversidade”, disse ele, em entrevista a TV Pajuçara.

+  Homem de 59 anos é preso suspeito de abusar neta da esposa em Branquinha

O pai de Marcos relatou que quando os bandidos chegaram, ele correu para quintal e pulou o muro, mas quando voltou já encontrou o filho agonizando na sala. Afirmou ainda que como os criminosos não conseguiram o assassinar, acabaram atirando contra o menino que foi para a sala quando ouviu os tiros.

“Ele se agarrou no meu pescoço e tentou dizer alguma coisa, mas não conseguiu. Vou carregar essa culpa por toda minha vida”, acrescentou ele. O IC e o IML foram acionados para os procedimentos cabíveis. O caso será investigado pela Polícia Civil (PC) da cidade.