Torcedor agredido está com sequelas neurológicas e mãe pede ajuda para custear tratamento

Wanderson Felipe, de 21 anos, foi espancado por um grupo de supostos torcedores na final do Campeonato Alagoano


Publicado em: 15/05/19 às 8:05 por Redação | Atualizado em 15/05/2019 às 8:05


Torcedor agredido está com sequelas neurológicas e mãe pede ajuda para custear tratamento - © Reprodução

Maceió – A vida da dona Maria de Fátima, mãe do jovem Wanderson Felipe dos Santos de Oliveira, de 21 anos, mudou completamente depois que ele foi espancado por um grupo de supostos torcedores no bairro do Tabuleiro dos Martins, em Maceió, no dia 14 de abril de 2019, dia da final do Campeonato Alagoano.

O jovem estava em um ponto de ônibus, em um trecho da Avenida Durval de Góes Monteiro – próximo aos Correios, vestido em uma camisa do CRB, quando um coletivo descaracterizado de torcedores do CSA se aproximou, abordando a vítima em seguida.

Wanderson tentou fugir, mas foi alcançado pelo grupo, que desferiu vários golpes contra o torcedor do CRB. Gravemente ferido, ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde permanece internado.

Maria de Fátima relatou que o filho estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade, mas recentemente foi transferido para a área verde, onde aguarda alta. No entanto, segundo ela, a família não teria condições de manter o tratamento do jovem em casa.

As agressões deixaram o torcedor com sequelas neurológicas. Fátima contou que ele não fala, não anda, não reconhece ninguém e está praticamente em estado vegetativo. “Ele praticamente vive vegetando. Eu estou sem saber o que fazer”, disse.

A mãe também declarou que o filho trabalhava em um shopping no bairro da Mangabeiras e que ele ajudava na manutenção da casa. “Estou de mãos atadas. Como vou levar meu filho para casa sem ter suporte nenhum? Ele ajudava bastante dentro de casa”, disse ela.

Agora, Fátima pede ajuda para custear o tratamento do filho. Segundo ela, Felipe precisa continuar o tratamento em casa, com acompanhamento de fisioterapeuta, fonoaudiólogo, neurologistas. “Ele precisa de uma cama hospitalar também. Quem puder me ajudar, me ajude, pelo amor de Deus. Meu filho não fez nada para passar por isso”, lamentou.

+ Diretora de creche indiciada por tortura teria obrigado crianças a comer vômito

Quem quiser ajudar a família com doações, seja quantia em dinheiro, medicamentos, alimentos, ou outros meios, pode entrar em contato pelo número (82) 98860-1419.

HGE diz que não há previsão de alta médica

Na tarde dessa segunda-feira (13), o Hospital Geral do Estado (HGE) emitiu uma nota e destacou que ainda não há previsão de alta de médica. O comunicado informa ainda que o paciente chegou à unidade muito grave, ficando 20 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e segue aos cuidados da clínica médica, neurologia e fonoaudiologia.

Leia a nota na íntegra:

O Hospital Geral do Estado (HGE) informa que o usuário Wanderson Felipe dos Santos de Oliveira, de 21 anos, está internado na Área Verde sem previsão de alta médica. Ele segue aos cuidados da clínica médica, neurologia e fonoaudiologia; mesmo apresentando melhoras de saúde, não há previsão de alta médica. Vale recordar que o paciente chegou à unidade muito grave, ficando 20 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em decorrência do grau de espancamento sofrido.