MPF apresenta denuncias de corrupção contra irmão de Lula

MPF afirmou que o ex-presidente foi incluso nas novas denuncias por conta da Odebrecht ser beneficiada em cargos públicos


Publicado em: 10/09/19 às 16:45 por Johny Lucena | BR104 | Atualizado em 10/09/2019 às 16:45



Lava Jato: MPF denuncia Lula e seu irmão por corrupção — © Internet

Lava Jato — Uma força tarefa da Operação Lava Jato denunciou mais uma vez o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por corrupção contínua. A denuncia foi feita na manhã desta terça-feira (10) enquanto a 65ª fase da Lava Jato acontecia nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Além de Lula, a Polícia Federal também denunciou um de seus irmãos que atende pelo nome de José Ferreira da Silva, conhecido por Frei Chico. De acordo com informações ele teria recebido uma mesada indevida da Odebrecht no período de 12 anos iniciado em 2003 até 2015.

As acusações apontam um valor estimado a R$ 1,1 milhão, dividido entre R$ 3 a 5 mil ao longo do tempo mencionado anteriormente. Entre os denunciados também estão Alexandre Alencar, Emílio Odebrechht e Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo Odebrecht todos aliados ao petista.

Luiz Inácio Lula da Silva

+ Moro deve investigar denúncias forjadas contra parlamentar do PSL

Lula encontra-se preso desde 2018 no presídio de segurança máxima da Polícia Federal de Coritiba. Onde cumpre pena por conta dos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção envolvendo o triplex de Guarujá (SP).

Para o MPF, esse valor citado no corpo da matéria teria sido pago em especie ao irmão de Lula, com isso a empresa (Odebrecht) tinha vantagens em licitações dentro do Governo Federal. Segundo as apurações, o irmão do ex-presidente teria prestado serviços de consultoria para a empresa na década de 1990.

O contrato teria side reincidido no ano de 2002 quando o irmão do então presidente na época passou a receber a mesada para que fosse mantido um vinculo entre a empresa e a gestão atual naquela data, sendo paralisada apenas com a prisão do ex-diretor da construtora Alexandre Alencar, no ano de 2015.

Em uma de suas delações Alencar teria confirmado que passava o valor citado (R$ 3 a R$ 5 mil) ao irmão do ex-presidente. Na época, Lula teria dito que: “Se a Odebrecht resolveu dar 5 mil reais pro meu irmão, é problema da Odebrecht. Por que é que tem que colocar o meu nome nisso?“.

O Ministério Público Federal afirmou que o ex-presidente foi incluso nas novas denuncias por conta da Odebrecht ser beneficiada em cargos públicos do governo federal enquanto sedia os valores a Frei Chico.