publicidade
publicidade
Interior

Vigilância Sanitária afirma que cápsula encontrada em ferro-velho não contém Césio-137

O material foi encontrado após denúncia em ferro-velho na cidade de Arapiraca

Publicado: | Atualizado em 23/01/2019 15:47


publicidade
publicidade
publicidade
Cápsula encontrada em ferro-velho (Crédito: Divulgação/Prefeitura de Arapiraca)
Cápsula encontrada em ferro-velho (Crédito: Divulgação/Prefeitura de Arapiraca)

Arapiraca – O Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (Conter) emitiu nota na manhã desta quarta-feira (23) negando que a cápsula encontrada em um ferro-velho localizado no bairro São Luiz II, na cidade de Arapiraca, contenha Césio-137.

Em um primeiro momento, o coordenador da Vigilância Sanitária de Arapiraca, José Edílson Ferreira de Melo, havia informado que a cápsula continha césio-137, material radioativo e altamente perigoso para os humanos.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária do Município, a primeira avaliação foi realizada pela empresa Máxima, de recolhimento de material químico e radioativo, que descartou a hipótese de se tratar de uma cápsula contendo Césio – 137, mas de um tubo de raio-X.

“Nesse caso, em se tratando de um tubo de raio-X, nos tranquilizamos e também a própria população. O material foi encontrado fechado, por isso não apresenta perigo. E, mesmo se tivesse sido aberto, não teria a proporção do Césio-137. O risco de contaminação seria restrito para quem manipulasse o material”, explicou o coordenador.

+ Colisão entre van e carro-forte na AL-101 deixa 7 pessoas feridas

O Conter afirmou que o material apreendido “é apenas uma ampola de raios X, que não contém Césio-137. O artefato não oferece qualquer risco para a saúde. A ampola não contém e não emite radiação ionizando nas condições em que se encontra. A peça só produz raios X quando acionada no equipamento, por meio da energia elétrica”.

Edilson Melo informou ainda que, o material encontrado também vai passar por avaliação do Centro Regional de Ciências Nucleares. E que o tubo está guardado em um lugar seguro, aguardando o recolhimento adequado da empresa.

Confira a nota na íntegra:

A Vigilância Sanitária de Arapiraca vem a público esclarecer que, após análise do material apreendido na tarde desta terça-feira (22), em um ferro-velho de Arapiraca, ficou constatado que não contém Césio – 137, como informado anteriormente.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária do Município, Edilson Melo, a análise foi realizada pela empresa Máxima, de recolhimento de material químico e radioativo, que descartou a hipótese de se tratar de uma cápsula contendo Césio – 137, mas de um tubo de raio-X.

“Nesse caso, em se tratando de um tubo de raio-X, nos tranquilizamos e também a própria população. O material foi encontrado fechado, por isso não apresenta perigo. E, mesmo se tivesse sido aberto, não teria a proporção do Césio – 137. O risco de contaminação seria restrito para quem manipulasse o material”, explicou o coordenador.

Edilson Melo ainda informou que o material encontrado também vai passar por avaliação do Centro Regional de Ciências Nucleares. E que o tubo está guardado em lugar seguro, aguardando o recolhimento adequado da empresa.

publicidade
veja também

Jovem morto em Murici | © Reprodução
Murici
Vendedor de aquários é morto a tiros na madrugada desta sexta (17), em Murici

Segundo populares da cidade, o crime aconteceu por volta das 2h30.


CBM realizando buscas no local | © TV Pajuçara
Interior
Satuba: Mototaxista que caiu de ponte sobre o Rio Mundaú continua desaparecido

De acordo com o CBM, a profundidade e largura do rio onde Émerson caiu dificulta nas busca.


Pedra - @Imagem ilustrativa
Interior
Homem é socorrido após ser atingido por pedrada em União

O caso aconteceu no bairro Taquari, na periferia do município.


O corpo que foi encontrado no povoado Bonito estava nas margens de um rio | © Ilustração/CBMAL
Interior
Corpo é encontrado às margens de rio em Flexeiras e pode ser de criança desaparecida

Ainda não há informações sobre a identidade da vítima e as causas da morte.


George Clemente e Felipe Jatobá | © Reprodução
Interior
Municípios cancelam festividades juninas após desastres causados por fortes chuvas

O motivo do cancelamento é devido às fortes chuvas que atingiram os municípios nos últimos dias.


publicidade