publicidade
publicidade
Eleições 2022

Rodrigo Cunha se reúne com o presidente da Assembleia de Deus em Alagoas

Também participaram do encontro a senadora em exercício Dra. Eudócia Caldas e a deputada Jó Pereira.

Publicado: | Atualizado em 28/06/2022 10:25


Pastor Orisvaldo e Rodrigo Cunha - @Reprodução
Pastor Orisvaldo e Rodrigo Cunha - @Reprodução

O senador licenciado e pré-candidato ao governo de Alagoas, Rodrigo Cunha (UB), se reuniu com o presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Alagoas, pastor Orisvaldo Nunes, e outras várias lideranças religiosas ligadas à denominação.

O encontro aconteceu na sede da Assembleia de Deus em Maceió, e teve como pauta temas sensíveis à comunidade evangélica no estado.

Também participaram da reunião a deputada estadual Jó Pereira (PSDB), pré-candidata a vice na chapa de Cunha, e a senadora em exercício Dra. Eudócia Caldas (PSB).

A Assembleia de Deus é a igreja evangélica com maior número de membros no estado de Alagoas, o que a torna indispensável para qualquer candidato ao governo do Estado.

Rodrigo Cunha (UB) é o líder das pesquisas em Alagoas e conta com o apoio do prefeito de Maceió, JHC (PSB), além de ser o candidato do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL).

veja também

Maycon Resenheiro - @Reprodução
Eleições 2022
Influencer Maycon Resenheiro é candidato a deputado estadual pelo União Brasil

Maycon Resenheiro é mais um palmarino na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa de Alagoas.


Vereador João Catunda - @Reprodução
Eleições 2022
Patrimônio de João Catunda mais que dobra em 2 anos

João Catunda teve um aumento de cerca de 111,5% no total de bens declarados em apenas dois anos de mandato de vereador.


Bruno Lopes no site do TSE
Eleições 2022
Site do TSE passa a exibir candidatura de Bruno Lopes

Bruno Lopes concorre a uma vaga na Câmara Federal pelo Partido Verde (PV-AL).


Bolsonaro e Lula | © Reprodução
Eleições 2022
Em nova pesquisa, Lula cai 3 pontos percentuais em relação a Jair Bolsonaro

De acordo com os levantamentos, Bolsonaro subiu de 31% para 34%, enquanto Lula recuou de 44% para 41%. A rejeição ao governo caiu em 5%.