publicidade
publicidade
Economia

Novo salário mínimo entra em vigor e decepciona alagoanos

O decreto foi assinado pelo presidente Jair Messias Bolsonaro e publicado na última terça-feira (1º)

Publicado: | Atualizado em 07/01/2019 16:10


Novo salário minímo é de R$ 998 (Crédito: Reprodução/Internet)
Novo salário minímo é de R$ 998 (Crédito: Reprodução/Internet)

Começou a valer o novo salário mínimo nacional. O decreto foi assinado pelo presidente Jair Messias Bolsonaro e publicado na última terça-feira (1º) em edição extra do “Diário Oficial da União”, que fixou o salário mínimo em R$ 998,00 neste ano.

Em agosto do ano passado, o governo de Michel Temer, havia previsto que o mínimo passaria dos atuais R$ 954,00 para R$ 1.006,00. Mas o reajuste assinado pelo então presidente, decepcionou quem depende do dinheiro para sobreviver. “Ajuda, né! É pouco, mas com o pouco a gente vai devagarzinho, junta o meu e do esposo”, disse Thaysy Silva, que trabalha como vendedora.

“O valor do salário mínimo é uma vergonha, a população paga tantos impostos para uma minoria da elite política continuar gastando com caprichos e privilégios. O povo continua refém da má distribuição de renda”, disparou Milene Bueno.

O salário mínimo é usado como referência para os benefícios assistenciais e previdenciários. Bolsonaro tem até o dia 15 de abril para decidir se mantém a regra ou se muda.

+ Itec traz uma economia de R$ 200 mil ao Estado com novos geradores

Pela regra atual, o mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) dos dois anos anteriores.

Em alguns estados brasileiros, o valor do salário é determinado por um piso regional, superior ao salário mínimo. Assim como Alagoas, outros dezessete estados seguem o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.

Veja os valores do salário mínimo por estado:

Acre: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Alagoas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Amapá: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Amazonas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Bahia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Ceará: governo ainda não definiu se vai seguir o federal ou estabelecer um valor mais elevado.
Distrito Federal: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Espírito Santo: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Goiás: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Maranhão: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Mato Grosso: governo informou ainda não ter definição.
Mato Grosso do Sul: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Minas Gerais: governo ainda não respondeu.
Pará: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Paraíba: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Paraná: o estado tem, estipulado por decreto de março de 2018, um salário mínimo regional próprio que varia entre R$ 1.247,40 e R$ 1.441. Segundo o governo, o novo decreto está em pauta e deve ser assinado em 1º de fevereiro.
Pernambuco: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Piauí: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Rio de Janeiro: não segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal. Ainda não foi definido o piso estadual para 2019. Vigora atualmente no estado o piso adotado em 2018, com seis faixas de rendimento, que vão de R$ 1.193,36 a R$ 3.044,78.
Rio Grande do Norte: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Rio Grande do Sul: tem piso regional, geralmente reajustado em março. O último reajuste foi em 2018, de R$ 1.175,15 para R$ 1.196,47.
Rondônia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Roraima: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Santa Catarina: Piso estadual será definido até março. O salário mínimo regional definido para 2018 varia entre R$ 1.110 e R$ 1.271 entre as quatro faixas salariais, que vão desde agricultura até indústrias de vestuário, químicas e metalúrgicas, por exemplo.
São Paulo: Piso estadual para 2019 ainda será definido. O valor atual é de 1.108,38 (faixa I) e R$ 1.127,23 (faixa II).
Sergipe: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.
Tocantins: governo informou que “está sendo feito um estudo” para avaliar se vai seguir valor fixado pelo decreto federal.

veja também

Mãos segurando dinheiro
Economia
Caixa libera “saque calamidade” de até R$ 6 mil para cidades atingidas pela enchente

Entre os 28 municípios agraciados com o saque, estão listados: São José da Laje, União dos Palmares, Branquinha e Murici.


Câmara dos Deputados | © Reprodução
Economia
Câmara aprova MP que aumenta margem de crédito consignado; veja se tem direito

A MP autoriza esta modalidade de empréstimo aos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), RMC e Auxílio Brasil.


Vale-gás | © Luoman/Getty Images
Economia
Vale-gás poderá ser pago mensalmente a partir de julho; confira

O Vale-gás corresponde a 50% da média do preço do botijão de 13kg e é pago a cada dois meses.


Bomba de combustível | © Marcelo Camargo/Agência Brasil
Alagoas
Alagoanos buscam alternativas para driblar alta no combustível

O preço médio da gasolina chegou a R$ 7,50 nos postos de combustíveis do estado de Alagoas.


Auxílio Brasil | © Divulgação
Auxílio Brasil
Caixa paga nova parcela do Auxílio Brasil nesta segunda-feira (20)

O pagamento desta segunda (20), é destinado para beneficiários com final do NIS 2.