Suspeitos de participação no roubo de ouro são presos

O caso aconteceu na tarde da última quinta-feira (25). Câmeras de segurança registraram a ação dentro do terminal


Publicado em: 29/07/19 às 8:37 por Redação | BR104 | Atualizado em 29/07/2019 às 10:38



O caso aconteceu na tarde da última quinta-feira (25). Câmeras de segurança registraram a ação dentro do terminal — © Reprodução

São Paulo — Quatro suspeitos de participação no roubo de 718,9 kg de ouro no terminal de cargas do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, foram presos neste fim de semana. O caso aconteceu na tarde da última quinta-feira (25). Câmeras de segurança registraram a ação dentro do terminal.

De acordo com a polícia, foram detidos o encarregado de despacho do aeroporto, Peterson Pattrício, de 33 anos, que disse à polícia ter sido mantido refém pela quadrilha; e um conhecido dele, chamado Peterson Brasil. A investigação aponta que foi Brasil quem convidou Pattrício a participar do assalto.

Ainda segundo a polícia, outros dois suspeitos, que não tiveram os nomes divulgados, também foram presos. Segundo investigadores, eles seriam os donos de um estacionamento usado pelos ladrões para estacionar caminhonetes usadas no roubo.

Em depoimento, Pattrício disse, inicialmente, que os criminosos o sequestraram no dia anterior ao assalto e que mantiveram também sua família refém. Os assaltantes clonaram dois carros da Polícia Federal (PF) para entrar no terminal. O ouro roubado é avaliado em cerca de R$ 110 milhões.

Junto com o funcionário, a policia refez o trajeto que teria sido feito desde a sua suposta abordagem, até o sequestro de sua mulher e sua liberação. Segundo policiais responsáveis pela investigação, Pattrício confessou que foi cooptado pelos assaltantes.

+ Após 26 anos, chefe da ‘Gangue da Pistolagem’ é condenado

“A dinâmica do fato nos leva fortemente a crer que existe pessoas que conheciam a rotina de uma área restrita de um aeroporto internacional, de um terminal de cargas de um aeroporto internacional”, disse o delegado João Carlos Miguel Hueb antes da prisão.

Em nota, a GRU Airport, concessionária responsável pelo aeroporto, disse que “todas as informações referentes ao episódio ocorrido no último dia 25, no Terminal de Cargas do Aeroporto, estão sendo repassadas à Polícia Civil, que está liderando as investigações”.