Brasil

Aluno autista tem parte da orelha arrancada por adolescente em escola

O caso aconteceu em uma escola estadual de Goiandira, no sudoeste de Goiás.

Publicado: | Atualizado em 30/05/2023 11:25


Vítima teve parte da orelha arrancada por adolescente | © Reprodução
Vítima teve parte da orelha arrancada por adolescente | © Reprodução

A família de um estudante autista, de 12 anos, denunciou que ele teve um pedaço de sua orelha arrancado por um adolescente, de 16 anos, na última semana, durante uma briga em uma escola estadual de Goiandira, no sudoeste de Goiás.

Segundo informações dos familiares, o suspeito já vinha provocando a vítima há meses, e a direção da unidade escolar já tinha sido comunicada sobre o caso, mas nada foi feito.

A agressão aconteceu na última terça-feira (23/5), quando o adolescente imobilizou o garoto no refeitório e deu tapas no rosto dele. Para se defender, a vítima mordeu o dedo do agressor, mas teve parte da sua orelha arrancada por ele.

A tia do estudante autista, Poliana Aparecida, contou ao G1 que, no dia da agressão, o suspeito iniciou as provocações ainda em sala de aula, e que o seu sobrinho procurou a diretora em seguida, mas ela disse que resolveria o problema depois do recreio.

“O adolescente deu alguns tapas no pescoço dele, que foi até a coordenação e reclamou. Quando o meu sobrinho voltou para a sala, ele levou tapas do estudante novamente. Neste momento, ele foi falar com a diretora, que informou que iria resolver o problema depois do recreio. Ele foi para o refeitório, onde voltou a ser agredido”, disse Poliana.

O aluno agredido foi encaminhado para um hospital em Goiânia, mas logo recebeu alta. Segundo a tia, mesmo após uma semana da agressão, ele ainda sente dores, está assustado e não quer voltar à escola.

“Ele está assustado, chora muito, traumatizou ele. Não está conversando com a gente, fica mais calado. Está tomando medicação e estamos esperando para fazer um enxerto. Se a diretora tivesse dado atenção isso não teria acontecido”, contou.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Goiás (PC). Segundo o delegado Fernando Maciel, a investigação está sendo feita para entender o que aconteceu na escola e se houve omissão por parte da direção da escola, como denunciado pela família da vítima.

Além disso, o garoto deve ser submetido a um novo exame de corpo de delito para saber se a lesão será permanente. Caso seja, o suspeito pode responder por ato infracional análogo ao crime de lesão corporal grave, e também por ato infracional análogo ao crime de lesão corporal, se a perseguição e a agressão forem confirmadas.


Comentários


    Entre para nossos grupos

    Telegram
    Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
    WhatsApp
    Entre e receba as notícias do dia
    Entrar no Grupo


 
 
 
Especiais

Especial
Livro ensina técnica de leitura usada por Sherlock Holmes para expandir a memória

Aprenda a Melhorar sua Memória, Lendo até 10 Vezes Mais Rápido e Retendo Até 100% do Conteúdo


veja também

Maria Vitória dos Santos, de 15 anos | @ Reprodução
Brasil
Adolescente de 15 anos é morta a tiros por namorado de 56 na PB

Além de feminicídio, o suspeito deve responder também por estupro de vulnerável.



Três atletas e uma estudante foram as vítimas do acidente | @ Reprodução
Brasil
Quatro jovens morrem em acidente de carro a caminho de competição de basquete

As vítimas tinham entre 16 e 20 anos de idade; o acidente aconteceu no Rio Grande do Sul.


@ Reprodução
Brasil
Criança morre após levar tiro acidental de arma do pai em São Paulo

O pai foi preso preso em flagrante por porte ilegal de arma.


Marlúcia Machado, de 51 anos | @ Arquivo pessoal
Brasil
Mulher morre após ser diagnosticada com “crise de ansiedade” e receber alta de hospital

Segundo familiares, a mulher soube que o hospital estava em bandeira vermelha e por isso só seriam atendidos casos urgentes e de emergência.