BLOG
Eugenio de Lima

Instagram

Pastor da Siló Igreja Cristã de União dos Palmares, Bacharel em Música Sacra pela FATEC (Votuporanga-SP), Serviços jurídicos e notariais (UNIVAFIP, Caruaru-PE), jornalista e apresentador.


Educação

AGRESSÕES E VIOLÊNCIA: PROFESSORES REFÉNS EM SALA DE AULA

Chega de professores agredidos e desrespeitados. Desculpe-me pelo meu desabafo.

Publicado: | Atualizado em 24/09/2021 09:21


Você lembra do caso Thiago Conceição? Deixe-me refrescar sua memória. O professor Thiago dos Santos Conceição apareceu em um vídeo que circulou nas redes sociais, sendo humilhado, ameaçado e agredido em sala de aula por alunos, em uma escola pública no município de Rio das Ostras, interior do Rio de Janeiro, em setembro de 2018.

Lembro de assistir na época dos fatos duas entrevistas do professor. O caso foi um dos muitos que vi e li sobre agressões sofridas por professores. Estive entre os anos de 2011 até 2020 fazendo umas das coisas que mais amei na vida: lecionar! Fui professor de arte e música na rede pública municipal de ensino em Correntes (PE) e União dos Palmares (AL), em projetos sociais e também na rede particular.

Quantas vezes vi colegas professores relatando algum tipo de agressão verbal sofrida. Cansaço, frustração, baixos salários e AGRESSÕES de alunos e até de pais são a rotina de muitos desses homens e mulheres que decidiram dedicar suas vidas ao ensino. Aconteceu comigo. Chegou o momento em que decidi abandonar a sala de aula por não querer viver situações como as sofridas por Thiago Conceição. Infelizmente, esses episódios relatados aqui acontecem todos os dias nas escolas brasileiras. Isso é uma rotina.

A escola deixou de ser um lugar de formação intelectual para simplesmente ser um lugar de formação social. E, para mim, esse foi o maior erro da educação brasileira. Mas o que significa na prática essa tal formação social? O que nós estamos vendo todos os dias nas escolas brasileiras. A teoria pode ser linda, mas a realidade é essa que está aí.

Alunos que não aprendem, que não respeitam os professores, que passam de ano sem saber de nada (vide o que acontece na cidade de Ciro Gomes, Sobral, no Ceará), para assim manipular dados para o IDEB, buscando maquiar a realidade das gestões em educação de estados e, principalmente, municípios. Ainda hoje, ouço queridos professores reclamando dessa situação. O que me admira, entretanto, é que na época que eu estava lecionando, conversando com colegas, percebi que muitos ainda continuam acreditando na utopia comunista/socialista!

A educação brasileira piorou muito de FHC para cá. Lula foi o presidente que mais criou leis e regulamentações na Educação, o que não ajudou, antes atrapalhou o cumprimento do dever de uma escola que é ensinar, pois educar não pertence a escola e sim aos pais. O professor não é educador. O seu objetivo é ensinar o conteúdo, dar as informações necessárias para o desenvolvimento cognitivo e intelectual de seus alunos.

Concordo com o professor e filósofo Armindo Moreira que tratou dessa questão específica no seu livro “Professor Não é Educador”. Moreira tem graduação e mestrado feitos na Universidade Pontifícia de Salamanca na Espanha e mais de 40 anos de sala de aula, lecionando desde o ensino fundamental até ao ensino superior, ou seja, tem mais propriedade para falar sobre o tema.

De acordo com Armindo Moreira, educar é promover no aluno sentimentos e hábitos que lhe permitam adaptar-se e ser feliz no meio em que há de viver. Instruir é proporcionar conhecimentos e habilidades que permitam a pessoa ganhar seu pão e seu conforto com facilidade. O professor não deve ser educador de seus alunos, pois a verdadeira função do professor é instruir. A missão de educar cabe à família.

Mas vamos voltar à nossa questão inicial…

Nossas escolas são péssimas em tudo, principalmente em matemática e português. Estamos nos piores lugares em comparação com o mundo, mesmo gastando como os melhores. O que está errado? Simples. O método está errado!

Mas o ponto que quero destacar aqui é: Como combater a agressão aos professores e demais funcionários por parte dos alunos? Ao meu ver, criando uma legislação disciplinar escolar e consequentemente mudando o ECA. Acabando também com a maioridade penal. Trazendo para as escolas ordem e disciplina. Não estou falando de militarização das escolas, estou falando sobre trazer a disciplina e a ordem novamente para as escolas. Aqueles alunos de Rio das Ostras falaram em matar o professor Thiago! Atitudes que resultam na certeza da impunidade.

Agora, os meus antigos colegas professores gostariam dessas soluções? Por incrível que pareça, não. Achavam (e continuam achando) que o socialismo revolucionário poderia resolver. Piada! É triste, mas para esses professores só resta no momento continuar sofrendo em sala de aula, pois quem nos trouxe esse caos foi o PSDB e o PT, e em 2022 muitos irão votar no PT novamente.

Quem ou o quê pode trazer ordem para a sala de aula novamente? Só a mudança do modelo educacional. Espero que os professores acordem para a realidade: o Brasil precisa de uma mudança no sistema educacional. Jogar a pedagogia freiriana no lixo e reconstruir um método moderno, porém conservador, pois foi assim que nossas crianças sempre aprenderam antes de 1989.

Mudamos a educação ou continuamos como está? Luto pela mudança, por melhores salários aos professores e demais profissionais da educação, por respeito e ordem nas salas de aula, para que possam exercer com excelência essa linda profissão.

Chega de professores agredidos e desrespeitados. Desculpe-me pelo meu desabafo.