publicidade
publicidade
Alagoas

Covid-19: Infecções em Alagoas aumentaram 3.863% desde o réveillon

O número de novos casos da Covid-19 deste domingo (09/01) é 39 vezes maior do que o número de casos registrados no primeiro dia do ano.

Publicado: | Atualizado em 10/01/2022 08:24


Pessoas usando máscara se prevenindo contra o novo coronavírus — © Reprodução
Pessoas usando máscara se prevenindo contra o novo coronavírus — © Reprodução
publicidade
publicidade

Os casos de Covid-19 em Alagoas voltaram a apresentar um aumento significativo na primeira semana de janeiro de 2022. Um levantamento do BR104, com base nos dados do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (CIEVS/AL), apontou que entre os dias 1 e 9 de janeiro de 2022, os números diários de novas contaminações por Covid-19 tiveram um aumento de 3.863%.

No dia 1 de janeiro, o número de pessoas contaminadas, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), foi 11. Já o boletim deste domingo (09/01), registrou novos 436 casos, ou seja, o número deste dia é 39 vezes maior do que o número de casos registrados no primeiro dia do ano.

Veja no gráfico abaixo o crescimento de novos casos de contaminação pelo novo coronavírus em Alagoas:

O que causou?

O crescimento no número de casos de Covid-19 em Alagoas pode estar diretamente ligado aos eventos do final de ano. Embora vários municípios não tenham realizado ou autorizado eventos públicos ou privados, essa medida apenas não foi capaz de impedir a interação de pessoas que viajaram de um município para outro, para reencontrar amigos e parentes.

Cultos em igrejas ou festas familiares, além de vários outros fatores, podem ser os responsáveis pelo recrudescimento da pandemia em Alagoas. Essas infecções, ou até reinfecções, que ocorreram no final do ano, acabam levando tempo até serem detectadas, uma vez que o CIEVS e o LACEN demoram de 5 a 10 dias até apontar o resultado dos testes nos boletins epidemiologicos.

Com isso, os casos publicados no boletim deste domingo, podem ser de testes realizados dias atrás, o que pode confirmar o fato de os eventos de fim de ano terem sido os responsáveis pelo aumento no número de casos da doença.

+ O que é H3N2, a nova gripe que é pior do que Covid-19

+ Quais são os sintomas da Influenza H3N2?

Alagoas tem um total de 243.188 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 661 pessoas estão em isolamento domiciliar. Outros 235.938 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença.

Há 6.547 casos em investigação epidemiológica. Foi registrada uma morte por Covid-19 em território alagoano. Com isso, Alagoas tem 6.387 óbitos por Covid-19.

Renan Filho, Alexandre Ayres e Hugo Wanderley | © Márcio Ferreira

Renan Filho, Alexandre Ayres e Hugo Wanderley | © Márcio Ferreira

Em entrevista coletiva na última quinta-feira (06/01), o governador Renan Filho (MDB) e o secretário de Estado da Saúde (Sesau), Alexandre Ayres, elencaram ações que começam a valer imediatamente e outras a serem adotadas já na próxima semana.

Acompanhado do presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley, e do superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Charles Barros, o chefe do Executivo Estadual pediu o apoio dos municípios no enfrentamento da pandemia.

Renan também anunciou a instalação, já a partir da próxima semana, de quatro centrais especializadas em atendimento de síndromes gripais nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) construídas e administradas pelo Governo de Alagoas, em Maceió.

“Isso vai garantir o aumento do efetivo médico e retirar do mesmo ambiente as pessoas que estão com síndromes gripais para evitar que haja contaminação na própria unidade de saúde, aumentando a capacidade resolutiva das UPAS”, explicou o governador.

Ele disse ainda que nesta segunda (10), irá se reunir com todos os secretários municipais, a fim de pactuar um prazo de 15 a 20 dias para vacinar todas as crianças em Alagoas, desde que o Ministério da Saúde envie os imunizantes, conforme acordado com os Estados.

Veja abaixo as medidas anunciadas pelo governo de Alagoas:

• Aumento da testagem – disponibilizar 150 mil testes rápidos de antígeno para os municípios alagoanos já a partir de sexta-feira (7).

• Centrais especializadas nas UPAs – instalar quatro centrais especializadas em atendimento de síndromes gripais, o que vai garantir aumento do efetivo médico e retirar do mesmo ambiente as pessoas com síndromes gripais, para evitar que haja contaminação na própria unidade de saúde. Essas centrais devem começar a funcionar na próxima semana.

• Ampliação de leitos – o Estado vai ampliar a quantidade de leitos para tratar Covid e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de maneira geral. “Disponibilizamos hoje 191 leitos e teremos mais 360 leitos novos”, disse o governador.

• Reabertura de unidades sentinelas – recomendou aos municípios alagoanos que reabram as unidades sentinelas para identificar casos de síndromes gripais e encaminhar os pacientes para a rede especializada.

• Mais ambulâncias – 30 novas ambulâncias foram disponibilizadas nesta quinta-feira para garantir o transporte de pacientes, inclusive nas cidades do interior.

Vacinação contra a Covid-19

Vacinação contra a Covid-19

veja também

Estudante acessando plataforma de inscrição – © Assessoria
Alagoas
Governo de Alagoas oferece 100 vagas na área da tecnologia para estudantes

As vagas são destinadas aos estudantes do ensino médio e superior, com bolsas de até R$ 1.500.



Policiais da PM de Alagoas – © Ascom/SSP
Alagoas
Governo de Alagoas divulga edital de retomada para o concurso da PM

O documento foi publicado nesta sexta-feira (21/01), no Diário Oficial do Estado.


Central Já! – © Reprodução/Internet
Alagoas
Centrais Já! reduzirão capacidade de atendimento em Alagoas devido à Covid-19

A determinação é de que todas as unidades instaladas no estado reduzam o atendimento devido ao número de servidores afastados em decorrência da Covid-19.


Criança com fratura no braço - @reprodução
Interior
Médica se nega a fazer exames e criança fica 10 dias com braço quebrado no interior de Alagoas

A médica disse que não viu nenhuma anormalidade no braço da criança.